Novidades

LER/DORT

Para iniciar, LER ou DORT não é uma doença, na realidade representa um conjunto de afecções do sistema músculo-esquelético que podem estar relacionadas ou não ao trabalho. O termo LER refere-se a um mecanismo de lesão e não identifica qual é o tecido lesado. 
 
As doenças músculos esqueléticas relacionadas ao trabalho, principalmente dos membros superiores têm sido debatidas intensamente nos últimos anos no Brasil, à semelhança do que ocorre em outros países.

Desde há muito tempo sabe-se que os tecidos do corpo humano, quando submetidos a atritos, estiramentos ou pressões indevidas, isto é, a estímulos que excedam a sua capacidade de adaptação, se inflamam, provocando dores e sintomas característicos e localizados nas estruturas agredidas. Até o osso pode sofrer fraturas se for submetido a determinados esforços repetitivos (“fraturas de estresse”).

Assim como as fraturas se consolidam com tratamento apropriado, também as lesões dos tecidos moles se curam e o processo inflamatório é reversível. As lesões por esforços repetitivos não ocorrem apenas nas atividades relacionadas ao trabalho. Elas podem ocorrer também em atividades esportivas e de lazer.

Entre as patologias mais comumente chamadas de LER podemos citar a Síndrome do Túnel do Carpo, as Tendinites, Tenossinovites e Epicondilite. Dessas a mais comum é a Síndrome do Túnel do Carpo, que consiste na compressão do nervo mediano no punho. É mais comum nas mulheres e pode estar relacionada com alterações hormonais. 

Todas essas patologias podem ser tratadas, sendo que o tratamento pode variar de acordo com a intensidade dos sintomas e o quadro clinico: fisioterapia, medicamentos ou cirurgia.